28 de setembro de 2016

Parque Estadual da Serra da Tiririca: 25 anos - Até Charles Darwin esteve Aqui


 
 
Situado em Niteroi e Maricá, o Parque Estadual da Serra da Tiririca (PESET) completará 25 anos no dia 29 de novembro. São 25 anos de apoio ininterrupto da sociedade, que atuou decisivamente na sua criação e nas sucessivas ampliações. E permanece lutando por melhorias.

É disparado o de maior carisma e reconhecimento popular entre todos os parques estaduais e, talvez, o mais visitado. Graças a sua existência, os municípios de Niterói e Maricá receberam repasses de ICMS Ecológico de R$ 10,8 milhões entre 2009 e 2015. Neste intervalo, Niterói recebeu R$ 7,7 milhões, estando previsto o ingresso de R$ 2 milhões até o final do ano de 2016 e R$ 2 milhões em 2017, enquanto Maricá recebeu R$ 3,1 milhões, estando previsto o ingresso de R$ 1,2 milhão até o final do ano de 2016 e R$ 1,2 milhão em 2017. O PESET é uma força econômica.

Caso inédito em nosso estado, o Parque é liderado pelo gestor Jonathas Ferrarez, tecnólogo  ambiental formado nas categorias de base do PESET, onde começou a atuar como voluntário em 2006.

O PESET iniciou em 1991 protegendo apenas a Serra da Tiiririca e a enseada do Bananal. Em 2007 adicionou o Morro das Andorinhas e, em 2008, as terras da planície do entorno da Laguna de Itaipu, uma faixa da restinga de Camboinhas e a espetacular Duna Grande. Em 2012 incorporou as Montanhas Darci Ribeiro, repletas de Mata Atlântica, o Morro da Peça e as Ilhas do Pai, da Mãe e da Menina.

Com status internacional de Reserva da Biosfera da Mata Atlântica do Estado do Rio de Janeiro conferido pela UNESCO em 1992, o PESET conta hoje com 3.493 hectares (35 km²), dos quais 2.553 ha estão em Niterói e 940 ha em Maricá. Recebe mais de 250 mil visitantes por ano, movimentando o comércio das áreas vizinhas e fazendo a alegria de milhares de moradores de Niterói, Maricá, São Gonçalo e do Rio de Janeiro, sem falar de turistas de outros cidades, estados e do exterior.        

Um dos principais parques metropolitanos do Estado do Rio de Janeiro ao lado do Parque Nacional da Tijuca e do Parque Estadual da Pedra Branca, o PESET tem como característica singular o fato de ter sido instituído após intensa campanha da sociedade civil, liderada pelo Movimento Cidadania Ecológic (MCE).

A Serra da Tiririca foi atravessada por Charles Darwin em 1832 que assim escreveu a experiência em seu diário de viagem: “Depois de passarmos por alguns campos cultivados, entramos numa floresta cuja magnificência não podia ser superada”. Ela foi ainda palco da primeira tentativa de reforma agrária do Brasil (Engenho do Mato, em 1962). O primeiro Estudo de Impacto Ambiental (EIA) do Brasil, do Plano Estrutural Cidade Balneária de Itaipu, em 1983, foi realizado na área incorporada ao Parque em 2008. Em 1987 o IPHAN proclamou a Duna Grande como monumento símbolo da arqueologia nacional. Em 2008 o Parque incorporou a área da Reserva Biológica de Goethea, criada em 1932, a segunda mais antiga área protegida municipal do Brasil.

O PESET protege formações rochosas de gnaisse facoidal, granitos e diques de diabásio, córregos e riachos, florestas do bioma da Mata Atlântica, vegetação rupícola (plantas que vivem em afloramentos rochosos), restinga (vegetação em solos costeiros arenosos), duna, manguezal, brejos e alagadiços ao redor da Laguna de Itaipu, ilhas e a área marinha do enseada do Bananal. Abriga mais de 900 espécies de plantas, muitas ameaçadas.    

O patrimônio histórico-cultural reúne o sítio arqueológico da Duna Grande registrado no IPHAN em 1962, o Túnel Ferroviário da E.F. Maricá, o Caminho Darwin e a Comunidade Tradicional do Morro das Andorinhas. Além disso, o PESET valoriza e celebra o passado e a cultura do Povo do Sambaqui e dos índios Tupinambás. Os Sambaquieiros habitaram a região entre 8 e 1,5 mil anos atrás, percorrendo as diversas áreas do parque, nelas praticando a pesca, a caça e a coleta de vegetais, deixando como registro principal os sítios arqueológicos. Em sequência vieram os índios Tupinambás, que por mais de mil anos habitaram e perambularam pelas áreas do PESET, pescando, caçando e coletando vegetais.

Principais atrações e atividades no parque e entorno;

·         Caminhadas pelas trilhas até os cumes dos Morros do Elefante (412 m), Costão (Tucuns), Cantagalo, Andorinhas e da Peça, atravessando a Mata Atlântica, com mirantes que proporcionam vistas espetaculares;
·         Caminhada pela trilha até a Enseada do Bananal;  
·         Exploração do Caminho Darwin, com visita a Fazenda Itaocaia, local onde Charles Darwin pernoitou em 1832;
·         Apreciação da Duna Grande;
·         Visita ao Túnel Ferroviário da extinta Estrada de Ferro de Maricá;
·         Visita ao Museu de Arqueologia de Itaipu (entorno);
·         Banho relaxante nas praias de Itaipu, Camboinhas, Itacoatiara e Itaipuassu (entorno);   
·         Degustação de frutos do mar nos restaurantes da Comunidade de Pescadores de Itaipu (entorno);  

Como presente de aniversário pelos 25 anos e em reconhecimento a importância do Parque na vida dos Niteroienses, a Prefeitura cercou a Duna Grande e, atendendo ao apelo do movimento ambiental, o Prefeito comprometeu-se publicamente a destinar R$ 360 mil/ano ao parque pelos próximos cinco anos, visando garantir sua operação e a decretar as terras no entorno da Laguna de Itaipu como área de preservação permanente, pondo um fim a insegurança jurídica, além de construir a ciclovia no entorno da referida Laguna e investir recursos na recuperação deste precioso ecossistema aquático em conjunto com o Subcomitê da Bacia das Lagoas de Piratininga e Itaipu – CLIP e do Conselho da Resex Itaipu.               

Aguardamos agora os presentes do INEA, esperando anciosamente o anúncio da construção do Centro de Visitantes e da sede da UPAM, a implantação do Caminho Darwin, a melhoria das trilhas e a aceleração da regularização fundiária.  E também os presentes da Prefeitura de Maricá.     

Para finalizar, nossa homenagem a cinco pessoas que tiveram papel crucial na criação e no desenvolvimento do Parque: João Batista Petersen, Omar Serrano, Cláudio Martins, Leonel Brizola e Carlos Minc.

Parque Estadual da Serra da Tiririca, o parque do Charles Darwin.